Análise do Phillips SHP2000

Depois de alguns anos colecionando fones de ouvido, nós passamos a entender que não há como fazer um fone muito bom e muito barato. Uma das duas partes vai ter que ceder. Isso acaba sendo mais verdadeiro quando testamos fones mais caros e um novo mundo do áudio é descoberto. Dito isso, alguns fones de ouvido se destacam a um preço bem baixo e um desses fones é justamente o Phillips SHP2000.


Muitas vezes, os meus alunos me perguntam qual é o melhor fone de ouvido abaixo de 100 reais que eu recomendo. A minha resposta é sempre a mesma (até hoje): abaixo de 100 reais não indico nenhum, mas normalmente os da marca Phillips são aqueles que mais valem o preço. E nessa faixa de preço (ou um pouquinho a mais) os fone SHP2000 e SHP2500 são dois dos fones da Phillips que mais me chamaram a atenção. Há algumas semanas, o SHP2000 caiu na minhas mãos, emprestado de uma ex-aluna e resolvi fazer uma pequena análise dele. Essa análise deve cobrir tanto o SHP2000 como o SHP2500, mas não posso garantir. Que eu saiba, a única diferença entre os dois modelos é a cor (prata ou preto) e a extensão do cabo. Mas só posso ter certeza ao analisa-los lado a lado, algo que não sei se conseguirei fazer. Vamos, então, à análise do SHP2000 e SHP2500.

Preço

O preço desses fones normalmente caía abaixo dos 100 reais. Com a alta do dólar, esse preço subiu e, no momento que escrevo esse post, o SHP2000 está indisponível e o SHP2500 aparece na faixa dos 150 reais. Por mais que eu ache que esse é um preço muito alto para esse fone, no momento tudo está mais caro e acredito que na faixa de preço dele, por tudo que analisarei abaixo, esse fone se destaca.

Conforto

Conforto, como disse em um vídeo recente do Audiofilico, é algo que depende muito do formato e tamanho da cabeça de quem usa. Para mim, esse chega a ser maior que o tamanho da minha cabeça na sua extensão máxima, o que pra mim é um ponto extremamente positivo. Como a almofada dele não é feita de courino mas sim de um tecido mais poroso, ele acaba não sendo tão quente. Essa propriedade vai comprometer algumas outras propriedades que eu cito abaixo, mas ajuda no conforto. Talvez, dependendo do tamanho da sua cabeça, você precise de um tempo para o fone afrouxar um pouco, mas com o tempo ele deve ficar bem confortável no tamanho da sua cabeça. O arco não possui nenhuma almofada, mas eu honestamente não acredito que seja necessária. A dona do fone que usei para essa análise colou uma almofada na parte de baixo do arco, então imagino que para algumas pessoas o arco não ter almofada pode ser um incômodo.

Estilo

Em termos de estilo, esse é um fone grande e que não é discreto, especialmente o SHP2500 com a sua cor prata. Isso vai contar muito no fator portabilidade, mas no fator estilo, diria que esse fone é bastante direto ao ponto e busca ter um visual meio neutro.

Isolamento

O isolamento desse fone não é a melhor parte dele. Claro, estou comparando com fones bem mais caros, mas o tipo de tecido usado nas almofadas não ajuda a selar bem esse fone de ouvido. Só que também não é um isolamento nem um pouco ruim para a faixa de preço dele e não saberia indicar nenhum fone extra-auricular que tivesse ao mesmo isolamento nessa faixa de preço. Nesse preço, se você quiser um fone de ouvido com bom isolamento, é melhor ir atrás de um intra-auricular.

Qualidade de Construção

Esse é um fone de boa qualidade de construção, mas nada excepcional. Se você cuidar bem dele, ele vai durar um bom número de anos. Um dos pontos que mais acho interessante são as almofadas. Como elas não são de courino, não tendem a descascar. Isso não quer dizer que elas durarão para sempre: em dado momento a esponja em si irá degenerar e ficar mais fina, não há como o tecido que envolve a esponja descascar. A estrutura geral dele é basicamente toda em plástico, mas me parece um plástico mais resistente que outras marcas mais famosas e mais caras. Com isso, o segredo é não forçar demais e não entender esse fone como um "faz-tudo" (falaremos mais sobre isso na parte da portabilidade) e ele irá durar um bom número de anos.

Cabo

O cabo desse fone é interessante. É um cabo fixo de duas vias (ou seja, os canais são separados a partir do conector) e cada via se conecta a um falante de forma individual. Ao passo que isso pode ser considerado algo ruim, uma vez que as pessoas preferem que o cabo entre apenas por um lado, ter o cabo conectado aos dois lados é um ponto positivo para a durabilidade do fone como um todo e uma facilidade de conserto caso o cabo pare de funcionar, afinal não há nenhum cabo passando pelo arco (o que é o caso quando o cabo entra apenas por um lado do fone). Para um fone barato, acho que essa é a melhor opção. O cabo não é removível (algo que raramente conseguimos encontrar nessa faixa de preço e pode dar problemas com a solda após alguns meses de uso extensivo, especialmente se você resolver usar esse fone de forma portátil. O cabo tem 2 metros no SHP2000 e 6 metros no SHP2500, o que mostra que o SHP2000 foi mais pensado para ser usado em um escritório e o SHP2500 mais para ser usado em casa, com o fone conectado a um receiver e num lugar onde o cabo não atrapalha ninguém que esteja passando. Entretanto, para o contexto atual de dispositivos portáteis, acho que 6 metros é um exagero gigantesco. De qualquer forma, ambos possuem bastante cabo e, caso o conector quebre, não é difícil trocar (como fiz em uma live recentemente). Não acho o cabo desse fone incrível, mas também acho que as decisões tomadas forma bastante adequadas para essa faixa de preço.

Portabilidade

Essa é a grande questão desse fone: Esse fone não é um fone portátil! Acho que por ele ser barato e as pessoas acreditarem que ele é "bom", as pessoas costumam usa-lo como fone para colocar na mochila. Já vi esse caso muitas e muitas vezes. Não! Esse fone é um fone estacionário, que é para ser conectado a um computador ou laptop e permanecer num mesmo por muito tempo. Você também pode usá-lo com um receiver ou qualquer outra coisa, mas de fato ele é feito para ser estacionário. Pelo tamanho dos cabos (mesmo os 2 metros do SHP2000 é bem mais longo que os 1,2 metros que vemos em boa parte dos fones de hoje em dia) esses fones não são para ficar em espaços como mochilas, exceto de tempos em tempos, transportados com cuidado e enrolando os cabos de forma correta. A qualidade de construção não é boa o suficiente para levar algumas porradas e eventualmente alguma coisa vai ceder: ou o cabo, ou o conector, ou o arco. Portanto, a minha recomendação é que você escolha um lugar para esse fone e deixe ele por lá.

Sobre a sensibilidade, esse é um fone de sensibilidade relativamente baixa, pelo menos o que eu testei aqui. Talvez seja apenas essa unidade que estou usando, que já teve problemas com o cabo, mas a sensibilidade era um pouco maior que a de um HD600, ou seja, um bom amplificador pode ajudar muito esse fone.

Som

Som meio abafado. Boa separação de elementos para o preço, mas a falta de agudos prejudica bastante a espacialização. Os graves são presentes, mas bastante distorcidos. Ao ouvir a música "The Plan" que faz parte da trilha musical do filme "Tenet", dá pra perceber essas características dos agudos e dos graves. Mas e os médios? Surpreendentemente bons. Claro que não se comparam a um fone bem mais caro, mas para o preço pedido por esse fone, posso dizer que estou surpreso. Os médios são levemente recuados, especialmente por conta da quantidade estranhamente grande de certa faixa dos médios graves que existe nesse fone. Apesar de serem graves de baixa resolução, consigo enxergar esse fone sendo usado em extensas sessões de ensaio por baixistas.

De certa forma, não poderia dizer que é um fone de referência para nada, mas produz um som minimamente interessante. A ausência de agudos evita a sibilância, o que pode ser interessante para algumas pessoas que tenham uma sensibilidade desconfortável a agudos. Não é um fone rápido, possuindo assim menos resolução em sons pontuais, mas possui a rapidez de fones que custam 3 ou 4 vezes o preço desse fone. Entretanto, não se iludam com as minhas palavras simpáticas a esse fone: ainda é um fone de baixa resolução, com um palco sonoro minúsculo e uns buracos em determinadas zonas de frequências, o que torna o som menos dinâmico.

O maior problema do som desse fone, entretanto, não está no nível das cápsulas, mas no nível da estrutura do fone como um todo. Por vezes, enquanto estava escutando esse fone, percebi que o arco faz um barulho enorme simplesmente ao mexer a minha mandíbula - barulho de plástico batendo em plástico. Isso é inaceitável em um fone de ouvido, mas como a faixa de preço é baixa, acredito que algum tipo de problema assim iria aparecer. No fim das contas, entendo esses fones com bastante recomendáveis.

Para quem é esse equipamento?

Esse fone é para quem quer escutar qualquer coisa em um ambiente fixo por longas sessões, que precise de um cabo mais longo e que, por fim, tenha um orçamento bem limitado.