Zoom H4n: um faz-tudo acessível



(Post co-escrito com Lela Lenz)

Há alguns anos, quando os gravadores digitais ultra-portáteis começaram a aparecer, a grande questão era a quantidade de funções que esses gravadores conseguiam comprimir em um pequeno pacote barato. Especialmente quando tratamos do Brasil, onde tudo é mais caro e mais difícil de comprar que em alguns outros países, essa ideia de resolver tudo com o mínimo possível é essencial para se iniciar uma improvável carreira com audiovisual ou música.

Nesse post, falarei de um dos gravadores que mais tem causado impacto no meio entusiasta nos últimos 10 anos: O Zoom H4n. A empresa japonesa é tradicionalmente uma fabricante de equipamentos para se usar com guitarras, mas atualmente essa reputação dificilmente é lembrada por maior parte das pessoas: seus gravadores de áudio para vídeo são destaques de mercado e têm se mantido assim já há alguns anos. Mas, sem mais delongas, vamos para a análise do H4n.


Qualidade de construção

O H4n é um gravador que tem um boa qualidade de construção com dois pontos fracos notáveis. A construção não dá a impressão de parecer um "controle remoto de TV" (o que muitos gravadores dessa categoria parecem, devido à quantidade de plástico barato utilizada). Em vez disso, o H4n tem uma estrutura em alumínio e plástico emborrachado, com um peso um pouco maior do que outros gravadores no mesmo nível (a exemplo do Tascam Dr-40) o que dá a ainda mais a sensação de que ele é bem construído.

Os dois pontos frágeis do H4n são a tampa traseira e o botão de liga/desliga. A tampa acaba ficando meio solta com o tempo e não é incomum conhecer pessoas que possuam um H4n e colocam uma fita adesiva sobre a tampa para fecha-la melhor. O botão de liga/desliga também possui uma estrutura frágil. Muitos usuários acabam puxando-o com mais força do que deveriam e acabam quebrando o botão. Uma outra desvantagem da construção está no fato de o emborrachado acumular sujeira mais facilmente que o plástico liso. Com isso, recomendo usar esse gravador com as mãos limpas e fazer uma limpeza cuidadosa depois de alguns meses de uso.

(Laterais do Zoom H4n)

Botões e controles

Esse é um dos pontos mais fracos do H4n (apesar de ser um ponto fraco de quase todos os gravadores do mesmo nível). Ele possui poucos atalhos e basicamente botões de pressão, sem a presença de controle giratório (knob) ou controle deslizante (slider). De certa forma, isso faz algum sentido, pensando que o H4n deve ser utilizado da forma mais portátil possível e knobs e sliders possuem a característica de se moverem por acidente se manuseados de forma desatenta. Gravadores com knobs e sliders são mais adequados para ambientes que têm uma base (mesas, bancadas, superfícies em geral) onde o gravador pode ser colocado para ser manuseado com mais segurança e controle.

No painel frontal, temos uma parte dos controles que serão usados durante a gravação ou para reproduzir o arquivo já gravado. Três botões verticais permitem selecionar entre os microfones embutidos na parte superior do gravador ou o que quer que esteja conectado às entradas inferiores.

Além disso, no painel central, temos 5 botões que agem diretamente no momento da gravação: Os mais utilizados, em geral, são o de gravação e o botão de parar (respectivamente, os que têm a bolinha vermelha e o que tem o quadrado). Apertando no botão de gravação (rec) uma vez, inicia-se o pré-rec, onde pode-se ter o retorno nos fones de ouvido e pode-se fazer os ajustes finos de gravação. Apertando o rec novamente, inicia-se a gravação. Apertando-o mais uma vez durante a gravação, cria-se um marcador que será visível em alguns softwares de edição. O botão de play/pause pode ser utilizado durante a gravação para pausar a gravação, permanecendo no mesmo arquivo. Esse recurso deve ser utilizado com cautela, uma vez que pode atrapalhar bastante a sincronização entre esse áudio e o vídeo. Os outros dois botões avançam ou voltam nos arquivos já gravados.

Os outros quatro botões do painel frontal, que estão enumerados de 1 a 4, são atalhos de navegação para acessar diferentes pastas internas, selecionar arquivos, aumentar a velocidade de reprodução ou alterar o tipo de arquivo entre .mp3 e .wav. Além disso, no modo MTR (que veremos abaixo), esses botões servirão para selecionar uma das 4 diferentes faixas para se fazer a gravação mixada.

No painel esquerdo, temos o botão de liga/ desliga, que basicamente é um botão que deve ser arrastado para baixo para ligar o gravador e, deslizando esse mesmo botão para cima, teremos a trava de teclado, que bloqueará todas as teclas do gravador. Além desse botão, temos o controle para o ajuste da intensidade sonora do fone (vol). Esse ajuste não influencia no ganho da gravação, só altera o volume do fone de monitoramento.

No painel direito, teremos uma roda de controle de navegação nos menus. A roda pode também ser pressionada para selecionar algo no menu ou entrar em alguma subpasta. O botão menu serve para entrar e sair do menu principal e sair de subpastas do menu principal. O controle de "rec level" serve ajustar o ganho da gravação, aumentando ou diminuindo a sensibilidade dos microfones.

Um botão um tanto escondido está na parte traseira, sob a tampa da pilha. É o botão de "stamina". Esse botão aumenta a capacidade da bateria de manter o gravador ligado. Entretanto, só deve ser utilizado em circunstâncias onde seja indispensável, uma vez que seu uso diminui bastante o ganho da gravação.


(Visão frontal do Zoom H4n)

Portabilidade

O H4n é portátil o suficiente para ser utilizado em movimento. Forçando um pouquinho a barra, ele pode caber em alguns bolsos. Boa parte do controles são acessíveis mesmo segurando-o com uma mão só, o que permite (apesar de não ser o ideal) segurá-lo numa mão e segurar um microfone na outra mão - movimento típico de trabalhos com baixíssimo orçamento. As duas pilhas utilizadas podem variar muito em duração dependendo da amperagem, mas, nos nossos testes, pilhas relativamente baratas aguentaram mais de uma hora e pilhas mais competentes passaram das 5 horas. Caso se use pilhas recarregáveis, recomendo ter à mão um multímetro para continuamente testar a quantidade de carga que a pilha está conseguindo segurar. O zoom H4n não pode ser mantido via USB, mas possui uma fonte de 5v com um conector relativamente fácil de encontrar (procure por conectores universais de laptops).


(Parte traseira do Zoom H4n)

Entradas

Na lateral esquerda do gravador, pode-se observar uma entrada USB que, ao ser conectada no computador, permite que o h4n seja utilizado como uma interface. Na mesma lateral, observa-se uma entrada P2 para conectar os fones de ouvido. Entretanto, o gravador não possui de duas entradas para fones, sendo necessário conectar um splitter de P2 na entrada disponível, permitindo assim que tanto o técnico de som como o microfonista tenham acesso à gravação. Há também uma entrada para o encaixe do disparador remoto, que pode ser comprado separadamente. Porém, para essa análise, não tive acesso ao disparador para poder testar as capacidade dessa entrada.

Na lateral direita do gravador, há apenas a entrada para o cartão de memória SD, podendo ser utilizado um micro SD com um adaptador. Na parte de trás do gravador, há uma entrada P2 estéreo, que permite utilizar um microfone externo no lugar dos microfones internos - muito útil para o caso de uma gravação com um lapela com fio. Ainda na parte de trás, há um encaixe de 1/4'' para um suporte (tripé, por exemplo).

Finalmente, na parte inferior, temos duas entradas XLR/P10 para conectarmos fontes externas de sinal. Lembrando que o conector P10 não conduz energia phantom, sendo sempre necessário um cabo XLR para a utilização de um microfone condensador. Um ponto negativo desse gravador é justamente como ligar a energia phantom, pois não há um botão de fácil acesso, sendo necessário navegar pelo menu para encontrar essa opção. O phantom pode ser ligado em 24v ou 48v. Há também a opção de ligar a energia plug-in (nominalmente 5v), essencial para uma boa captura com microfones dinâmicos, ou qualquer outra fonte que tenha um baixo ganho. 

Ganho

O ganho é provavelmente o item mais polêmico desse gravador. Os microfones embutidos possuem um ganho decente, fazendo com que eu os considere bons microfones. O problema mesmo está no ganho do pré-amplificador que recebe o sinal das fontes conectadas nas entradas inferiores: não é bom não. Portanto, é importante que o microfone ou qualquer outra fonte que seja conectada nesse gravador já venha com um bom ganho.

Microfones

Os microfones embutidos são dois condensadores posicionados em um padrão XY, ou seja, vão gerar um sinal estéreo com uma boa imagem central. Os microfones são rotacionáveis, podendo aumentar ou diminuir o ângulo de captação. Recomendo o uso do ângulo de 120º para captura de paisagens sonoras, ou de múltiplas fontes sonoras (ex. uma banda). Já o de 90º é melhor para ser utilizado na captura de uma única fonte sonora (ex. uma entrevista). Vale lembrar que são microfones condensadores sensíveis, então qualquer ruído ambiente será facilmente captado por eles.


Modos

O gravador possui 3 modos:



Stereo: gravação de um único arquivo estéreo que usa como fonte ou os microfones internos embutidos, ou as duas fontes externas conectadas.



4CH: gravação de dois arquivos estéreos que usam como fontes todas as entradas disponíveis no gravador. O primeiro arquivo, terminado na letra M, refere-se aos microfones embutidos. O segundo arquivo, terminado na letra I, refere-se às entradas inferiores.

MTR: nesse modo, permite-se gravar e mixar 4 faixas de gravação distintas de forma não-simultânea. Vejo pouca praticidade na utilização desse modo, uma vez que, apesar de ser bastante curioso e interessante, dá, de fato, pouquíssimas ferramentas se comparado com um daw, sendo, portanto, mais interessante gravar e exportar para o computador, do que quebrar a cabeça tentando mixar no próprio gravador. Entretanto, se você um dia se encontrar numa ilha deserta com um monte de pilhas e mais esse gravador, não se preocupe que você vai conseguir fazer um mix básico.


Outras propriedades

A tela do H4n é bastante versátil, sendo de fácil leitura, mesmo sob a luz do sol. O gravador possui várias propriedades integradas, que excedem o propósito da nossa análise. Mas, uma propriedade que não podemos deixar de comentar é a habilidade desse gravador de ser uma interface de áudio, bastando conectar um cabo mini USB e selecionar "AUDIO I/F". Dai é só abrir algum daw que tenha propriedade de captura (ex. Audacity, Audition, Pro Tools). Creio que essa seja uma característica essencial para quem está começando, seja com música ou com audiovisual, uma vez que poderão usar esse gravador em um estúdio caseiro improvisado para capturar áudio diretamente para o computador, algo útil em diversas situações.


Pra quem é esse equipamento?

Esse equipamento é para profissionais ou entusiastas da música ou do audiovisual, que queiram um pacote mais completo por um preço relativamente baixo, mas que possuam microfones com um bom ganho ou possam estar muito próximos da fonte sonora.


Para mais informações, é recomendável a leitura do manual do gravador: Clique aqui para acessar o manual no site da zoom (em inglês).





Alguma pergunta? Deixe nos comentários. :)